quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

AS SURRADAS SANDÁLIAS DA FÉ.

Roberto Villani

            Conta-nos uma lenda, me foi narrada há alguns anos por uma senhora, que Jesus, ao caminhar por Jerusalem, cruzou com um pastor de ovelhas que levava presa numa corda uma cordeira para negociá-la. E Jesus lhe disse:
            - Queres negociar? Troco minhas sandálias pelo teu animal.
            Ajoelhou-se o pastor assim que reconheceu o Mestre. E Lhe respondeu:
            - Senhor, honra para mim a tua oferta. Mas meu animal não vale as tuas sandálias... - pelo que Jesus retrucou: - Minhas sandálias estão surradas pelo meu eterno caminhar. Mas se concordares com minha oferta, dar-te-ei esta missão: com elas nos teus pés, andarás pelos caminhos dos séculos levando aos incrédulos a Fé em nosso PAI e em mim. Sereis minha Fé personificada, por todo o sempre.
            E assim se fez.
            Frederico, imigrante italiano, chegou no Brasil por pai e mãe em busca de trabalho no cultivo de café. Menino de sete anos, deslumbrou-se com a viagem de navio a vapor, com o mar aberto ao sol, à lua, às estrelas e às esperanças de vida melhor. Desceu no porto de Santos e, ao primeiro contato dos seus pés com o solo brasileiro, suplicou:
            - Dio, si prega, di aiutare i miei genitori. - pedia proteção de Deus aos seus pais.
            Subiram a Serra do Mar, atravessaram a capital São Paulo, e se instalaram numa fazenda do Vale do Paraíba. Não fora difícil para eles, uma vez que a expansão das lavouras cafeeiras promovia contratações de mão de obra imigrante. Nessa proposta, agentes aliciadores levavam às fazendas pessoas assim que chegavam principalmente de navio.
            O menino Frederico imaginava que Deus haveria de conduzir seus pais a uma vida de fartura. Deus e Jesus, a quem ele rezava diariamente. Na fazenda havia uma capela dedicada à Nossa Senhora das Dores, na qual todos domingos um padre chegava até lá e rezava uma missa aos colonos. Frederico não perdia, fizesse sol ou chuva. Ajoelhava-se na primeira fileira de bancos e orava com fervor. Sempre pedindo em favor do pai e da mãe. Algumas vezes, o jovem italiano observava um homem entrar na capela, silencioso, e postar-se encostado na parede lateral. Roupas simples de colono, Frederico prendia o seu olhar nas surradas sandálias do homem; tinham algo misterioso que o menino não conseguia decifrar.
            E a vida passou pelo tempo. Sua mãe morreu de pneumonia e seu pai, abatido pela perda da esposa, enlanguesceu. Pouco depois, partiu vítima de aneurisma cerebral. Com a morte deles, Frederico já não mais cultivava tanto a fé. Mostrava-se sempre absorto, quem sabe fugindo da realidade que ele considerava injusta. Mas como já havia concluído o curso ginasial, realizado na escola da fazenda, resolveu deixá-la e aventurar-se na cidade. Tinha umas parcas economias, herança dos falecidos pais, o que por algum tempo lhe daria garantias para acomodação e alimento.
            Certo dia, cansado de inutilmente procurar emprego, com suas economias em estado de alerta, Frederico deixou de acreditar nas forças divinas que o alentavam. Na verdade, certo desespero tomava conta dos seus pensamentos. Não sabia o que fazer. Pensou até em mudar-se para a capital e tentar a sorte por lá. Mas não tinha mais dinheiro suficiente para instalar-se numa cidade tão grande. Além da acomodação que fosse numa pensão modesta, mais comida e transporte sairiam muito dispendiosos. Decidiu sentar-se num banco da praça principal da cidade. Quem sabe, em contato com a Natureza, seus pensamentos poderiam conduzi-lo a soluções plausíveis. E assim o fez.
            - Bom dia, senhor! - disse-lhe um homem maltrapilho, talvez morador de rua pela aparência. - Posso sentar-me ao seu lado? - e com a anuência do Frederico, o homem acomodou-se no banco. E prosseguiu: - Vejo que o senhor está triste. Mas os tropeços que enfrentamos pela vida são para nos ensinar a andar, a observarmos bem por onde pisamos. E não devemos desanimar por eles. São lições que o PAI nos dá para evoluirmos, para crescermos. Com fé, o senhor irá reencontrar a felicidade. - levantou-se e afastou-se. Frederico pode ver nos pés do tal homem sandálias incomuns à época e lembrou-se daquele que frequentava a capela da fazenda. Mas aquietou-se.
            Bom tempo depois naquela tarde, Frederico já decidia voltar à pensão, chegou-se a ele outro homem, bem vestido, terno, camisa e gravata brancos. Sentou-se ao lado do Frederico e...
            - Por desejo de quem muito te ama, venho entregar-te este endereço para que nele reencontres a tua fé. - disse e entregou ao Frederico um pedaço de papel. - Apresente-se ao senhor Gabriel. - ergueu-se e partiu sem dizer mais nada. E Frederico pode ver nos seus pés as mesmas surradas sandálias, apesar da bela indumentária branca.
            Esse episódio findo, com a tal visita ao senhor Gabriel, Frederico mudou totalmente a sua maneira de ver a vida. Completou os estudos, casou, teve três filhos e tornou-se empresário de sucesso na área comercial. Mas também se fez apregoador da Fé, apresentando-a, em palestras voluntárias, como o único caminho para a felicidade. E mantinha-se sempre muito bem vestido, mas sem nunca tirar dos pés as surradas sandálias da Fé.

  



quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

HILDA BREDA EXPÕE PRESÉPIOS EM QUATRO LOCAIS.


Hilda Breda coleciona presépios há muitos anos. Tanto assim, que possui 740 presépios, alguns de 54 países e outros de quase todos os Estados brasileiros. Estilos variados e diferentes materiais, seus presépios surpreendem pela beleza e excentricidade, joias artesanais natalinas, agora expostos nos seguintes locais:

- SALÃO Pe. FIORENTE ELENA – PARÓQUIA SÃO JOÃO BATISTA  –
Praça São João Batista, s/n – Rudge Ramos – São Bernardo do Campo
Visitação: até 22 de novembro de 2015 (confirmar horários de visitação: 4368.5026)

- SHOPPING WEST PLAZA –
 Av. Francisco Matarazzo s/n  - Barra Funda - Bloco B/4o. andar– São Paulo
Visitação:  de 16 de novembro/15  a  06/janeiro/16

-  SHOPPING METRÓPOLE  –
Praça Samuel Sabatini, 200  - 2o. piso -  São Bernardo do Campo 
Visitação: de 20 de novembro/15 a  06 de janeiro/16

- TAUBATÉ SHOPPING –
Av. Charles Schneider, 1700 – Taubaté 
Visitação: de  01 de dezembro/15 a 06/janeiro/16
Aproveitando o ensejo, a Hilda Breda deseja um Feliz Natal a todos internautas visitantes.
 

 

domingo, 8 de novembro de 2015

A MORTE LENTA DE UMA NAÇÃO.


 
“Esperar que a vida lhe trate bem porque você é uma boa pessoa, é como esperar que um tigre não te ataque, porque é vegetariano. ”

(Bruce Lee)

            Estamos assistindo em capítulos, a agonia de um sistema falido que tentaram implantar no país. O odor que exala de gabinetes e ministérios em Brasília, é o típico cheiro de um tecido socialmente podre, carcomido pela corrupção que avassala o Brasil. Somente uma ruptura total com isso que aí está, poderá salvar esta nação da morte lenta para a qual caminha. Enquanto todos assistem apáticos a esse desenlace, apenas um Don Quixote, o juiz Sergio Moro, tenta derrubar os moinhos de vento da quadrilha que se apoderou do país.

Ler ou ouvir os noticiários, é tomar ciência de novos casos de roubalheira, sem que os principais culpados sejam apeados de seus cargos, e devidamente trancafiados atrás das grades de qualquer prisão de segurança máxima. O que vemos são os responsáveis diretos pela situação em que nos encontramos, tendo espaços na mídia para desfilar suas bravatas e ameaças, enquanto a inflação crescente solapa com a economia popular.

Estes pretensos comunistas encastelados em altos cargos do país, não passam de inescrupulosos oportunistas, sem qualquer ideologia política, senão aquela de se locupletarem às custas do sacrifício da sociedade. Na China ou na Coreia do Norte, se produzissem um décimo dessas maracutaias, já teriam sido devidamente fuzilados. Aliás, em qualquer país com um mínimo de seriedade, já teriam sido afastados e sendo julgados pela sucessão de crimes cometidos contra a nação e a sociedade brasileira.

No entanto, somos obrigados a assistir longas entrevistas de cidadãos envolvidos até o pescoço, manuseando palavras, para tentar provar que todo o dinheiro que possuem em contas no exterior, são fruto de um trabalho honesto. É como passar um diploma de otário para todos nós. Mas no fundo, a culpa é toda nossa que não sabemos nossa principal arma que é o voto. Elegemos falastrões que tudo prometem e nada cumprem, e voltamos a elegê-los ouvindo as mesmas mentiras. Há anos, em todo o período eleitoral, apenas para citar um exemplo, os candidatos de um determinado partido que hoje governa São Paulo, promete aos cidadãos da Baixada Santista, a construção de uma ligação seca entre a ilha de São Vicente e a ilha de Santo Amaro. Toda eleição é um exercício de mágica na apresentação de maquetes e desenhos, mostrando as maravilhas que será o túnel ou a ponte que porá fim ao sistema de balsas entre Santos e Guarujá.

Terminado o período eleitoral, os desenhos somem, as maquetes vão para o lixo, até que daqui a quatro anos, novas promessas, novos desenhos, novas maquetes, novas falácias a entrutar um eleitorado que continua acreditando em promessas vãs. Com isso, o tempo passa, e estamos vendo as esperanças desfilar em trapos neste sambódromo de ilusões em que transformaram o Brasil. E assim caminhamos para a morte lenta desta nação, até que apareçam novos Quixotes, que unidos, poderão derrubar os moinhos de vento da corrupção.

CARLOS PINTO
Jornalista

(07.11.15)

 

 

DE 10 A 22 DE NOVEMBRO, MÚSICA NO SESC-SP.


quarta-feira, 4 de novembro de 2015

FESTA LITERÁRIA EM LIMOEIRO DO NORTE, CEARÁ.


"Nós, do Instituto Brasil de Dentro, estaremos realizando em Limoeiro do Norte, nos dias 05, 06 e 07 de novembro de 2015, a nossa III Feira do Livro e III Jornada das Letras de Limoeiro. Projeto este aprovado no VII Edital Mecenas do Ceará. Secult - Ce, e patrocinado pela COELCE. Projeto de Incentivo ao livro e à leitura, dirigido à população geral do Vale do Jaguaribe.
À exemplo das edições passadas (2011 e 2013), o evento concentrar-se na praça da Matriz, pela importância cultural do seu entorno, constituindo-se no nosso corredor cultural, com instituições importantes para o universo literário, como Biblioteca Pública do Município, FAFIDAM- UECE,  Auditório do NIT e Academia Limoeirense de Letras, todas envolvidas em atividades diversas, a partir da praça, com a armação da tenda núcleo.
A Feira compreende atividades de exposição, venda e troca de livros, oficinas matinais e vesperais para crianças, lançamentos literários, sessão de autógrafos, exibição de curtas, tablado para apresentações de poetas e músicos populares da região e convidados, palestras e oficinas, com alunos das escolas públicas do município, dentre outras. Para sua abertura, será realizado cortejo com poetas, cantadores e atores brincantes, seguido de falas dos realizadores, apoiadores e convidados.
IMPERDÍVEL!
Dalva Rodrigues"

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

CULTURA HISTÓRICA.


Casamento é cerimônia muito antiga, de milênios. Podemos constatar essa verdade inclusive nas páginas da Bíblia, que contém referências a essas cerimônias. No passado, os casamentos proporcionavam alianças políticas, união de fortunas e propriedades. Não havia romantismo nessas uniões na maioria dos casos, uma vez que os interesses políticos e financeiros estavam acima das questões amorosas.

            Contudo, a roupa dos nubentes sempre fora de importância vital para esses momentos. Até hoje observamos o interesse das pessoas pelo vestido da noiva. Nas épocas mais remotas, a cor do vestido de noiva não tinha o branco como usual. O vestido branco foi inserido nos padrões casamenteiros com a Rainha Vitória, da Inglaterra, no seu casamento com o Príncipe Albert, em 1840. É bom frisarmos que esse histórico casamento aconteceu por amor entre os dois.
 
Fonte: tudoporemail.com.br

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

ICACESP EM PRESIDENTE PRUDENTE - 42o CONGRESSO.


"A realização do 42º. Congresso do ICACESP em Presidente Prudente, teve completo êxito. Além de agradecer a presença dos companheiros que puderam estar presentes, temos que agradecer a recepção, a hospedagem e o atendimento por parte dos companheiros de Presidente Prudente. O roteiro  elaborado nos proporcionou conhecer os equipamentos culturais da cidade, que são um exemplo para qualquer cidade e administrador público, bem como a Cidade da Criança, que é um projeto maravilhoso. Os companheiros Fábio e Denilson, se desdobraram em nos atender de forma impecável. Parabéns a eles e à cidade de Presidente Prudente, um exemplo de administração pública.
Já comunicamos que o 43º. Congresso vai ser realizado em SANTOS, no período de 11 a 13 de março de 2016, juntamente com a Assembleia Geral Ordinária, para discussão e votação do balancete financeiro e relatório de atividades de 2015, bem como, para entrega do Troféu ICACESP, referente ao mesmo exercício. Pela votação realizada, serão dois vencedores que serão conhecidos em março.
Um abraço
Carlos Pinto"

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

A OFICINA CULTURAL SERGIO BUARQUE DE HOLANDA COMPLETA 25 ANOS!


A Oficina Cultural Sérgio Buarque de Holanda, de São Carlos-SP, está com nova programação. Neste trimestre, a programação é ainda mais especial em razão das comemorações dos 25 anos da existência da Oficina, trazendo inúmeras atividades culturais para São Carlos e região (incluindo São João da Boa Vista e Araraquara). Serão mais de 40 atividades, 3500 vagas e tudo gratuito!! 

A novidade nesta programação fica por conta das inscrições, que passam a ser totalmente online, pelo novo site das Oficinas Culturais, que contará com novo layout e novo sistema de busca. 

Como destaques deste trimestre o público será comtemplado com a presença de Ana de Hollanda, Deonísio da Silva, Rodrigo Zanc, entre tantos outros talentos que farão desta programação um grande momento de festividades.

Programação completa disponível em http://bit.ly/1glSAnn

 

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

MORRE MAIS UM EXTRAORDINÁRIO ARTISTA BRASILEIRO: LUIZ CARLOS MIELE.


Foto Internet.

Fui fã desse grande artista, ator e produtor musical, que durante muitos anos encantou plateias por este Brasil a fora. Carismático, levava ao seu público o humor inteligente, dançava e cantava na qualidade de um astro do rádio, dos palcos e da televisão.

Miele começou como locutor no rádio, mais precisamente na Excelsior, Tupi e Nacional. Também, no início da carreira, trabalhou na produção de shows de artistas bem conhecidos na época. Participou de inúmeros programas televisivos (TV Rio, Excelsior, Record, Tupi, Manchete e Globo). Em trabalhos mais recentes, participou em novelas (Geração Brasil, 2014 e Boogie Oogie, 2015). Esteve na série Mandrake, 2005, e no quadro Dança dos Famosos em 2014.

Miele nasceu em 1938, em São Paulo. E nesta quarta-feira, 14, foi encontrado morto em seu apartamento na Zona Sul do Rio de Janeiro. Segundo informações, teria sido vítima de infarto fulminante. Tinha 77 anos.

sábado, 10 de outubro de 2015

PLOC DA CIA TEATRAL SORVETE COM BISCOITO, EM MOGI DAS CRUZES - SP.


Apresentação para crianças carentes.
O Grupo Cia Teatral Sorvete com Biscoito de Mogi das Cruzes - SP, com direção e adaptação do professor Geandro Teixeira, montou a peça infanto-juvenil Ploc, a borboleta mais linda que já vi, de nossa autoria. Trata-se de um projeto muito bonito, voltado a apresentações gratuitas para crianças carentes, que não teriam condições de pagar ingressos para teatro.
         Todo o trabalho desse grupo, aulas, ensaios etc, acontecem na Catedral Santana, em salas cedidas para tal. A sede da Sorvete com Biscoito situa-se na Catedral, na Rua Doutor Paulo Frontin, Mogi das Cruzes. O responsável pelas atividades é o professor Geandro Teixeira que, pelo seu ideal, desenvolve projetos sociais e educativos com crianças e adolescentes do Alto Tietê.
Elenco: Ploc a Borboleta: Thays Gonçalves de Menezes
Don louva Deus: Vinícius Yuji Okasaki
Toca: Alessandra Silva Pinheiro
Bezzera: Vitor Agenor Gimenes Godinho
Condessa: Giovanna Figueiredo Soares
Princesa: Isabella Cristina Soares Joazeiro
Doutor Coelho: Samantha Cristina da Costa
Chico Macaco: Xiva Akemi Suto
Mestra Coruja: Bruna Souza
Elenco da Ploc.
 Contatos para eventos:
Instragram: sorvertecombiscoitto
Facebook: Teixeira geandro
Telefones:
011 9 4160-4864 (VIVO) -  Geandro Teixeira
011 9 8491-7619 (TIM) – Waths
011 9 7954-2571 (TIM) – Giovanna Figueiredo
011 9 9558-5769 (VIVO)- Bruna Souza
 
 

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

VIAJANDO COM SEXÓLOGA.


            Um executivo, nos seus 40 anos, bem apessoado, senta-se na poltrona do avião com destino a Nova York e fica animadíssimo quando depara-se com uma morena escultural sentada na poltrona junto à janela. De pernas cruzadas, saia curta, longos cabelos e lábios carnudos, a morena é, sem dúvida, umas das mulheres mais lindas que já viu. 
            Decola a aeronave, céu de brigadeiro, e o homem está com uma vontade enorme de puxar conversa, mas a morena não tira os olhos de um grande livro que está lendo. Passam 15 minutos de vôo e o cavalheiro não se contém: 
            - É a primeira vez que vai a Nova York? - pergunta.
            Ela, gentil, com uma voz muito sensual, mas de certa forma reservada, responde:
            - Não, é uma viagem habitual, vou sempre..
            Ele, animado, pergunta:
            - Trabalha com moda, por acaso...?
            - Não. -  responde a moça. - Viajo em função de minhas pesquisas. 
            -  Desculpe-me a curiosidade, mas você é escritora?
            - Não, sou sexóloga.. 
            Agora, ainda mais animado, o homem pergunta:
            -  Muito interessante! E o que suas pesquisas indicam?
            - Bem, de todos os pesquisados, já concluí que os índios, sem dúvida, são aqueles que têm os maiores órgãos sexuais, com as dimensões mais avantajadas. Em contrapartida, os árabes são os que permanecem mais tempo no coito e, por isso, são os que proporcionam mais prazer às suas parceiras... Ah! Desculpe-me! Estou aqui falando e nem sei o seu nome! - diz a moça.

            Sem pensar duas vezes, o homem responde: 

            - Cacique Mohamed, às suas ordens!

Fonte: TudoPorEmail.com.br

IV MOSTRA CENA´S EM LIMOEIRO DO NORTE - CEARÁ.

 
A nossa querida Dallva Rodrigues informa:

"A programação infantil do Cena's começa domingo, dia 11, com Chiquititas. Continua no dia 31, sábado, com A Verdadeira História de Lobo Mau Malvado, e termina com a grande estreia de OS SALTIMBANCOS, dia 01 de novembro, domingo.
Estou vendendo ingressos antecipados.
A programação completa por apenas 10,00 Reais.
Vocês querem participar? Conferir nosso trabalho?
Levar alguma criança?
Não percam essa oportunidade!
Chiquititas já é domingo! Adquira seu ingresso!"

domingo, 20 de setembro de 2015

INICIAÇÃO TEATRAL EM LIMOEIRO DO NORTE, CEARÁ.

IMPERDÍVEL PARA QUEM QUER SER ATOR, ATRIZ.
 
 
Responsável: Dallva Rodrigues.

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

ENCANTO ANIMAL.

 
video
 
 
Fonte: TudoPorEmail.com.br.

ÂNGELO BONICELLI, ÍCONE DO TEATRO PAULISTA.




Angelo Bonicelli estreou no Teatro em 28 de abril de 1951 na peça "Amor por anexins", de Arthur Azevedo, direção de Francisco Marmorato, no antigo Teatro São José, hoje desativado.

A partir desse ano, até 1956, sempre sob a direção de Marmorato, participou das seguintes encenações: “Ela e o chofer”,“Regresso ao lar”, de Dupont de Souza,“Na cidade”, de Belmiro Braga,“O cartão de visita”, de José Ribeiro dos Santos,“O compadre voltou”,“A mentira”,“Coisas que acontecem”, “Retorno à pátria”,“Almas do outro mundo”, de Napoleão da Vitória,“Soldados da retaguarda”, de Valdemar de Oliveira,“Crise de habitações”, de Ferreira Neto,“Uma véspera de Reis”, de Arthur Azevedo,“O infiel ou Nhô Manduca de Penante”, de Cláudio Justiniano de Sousa,“Má peça”, de José Gabriel de Toledo Piza e “Que rei sou eu”, de Correia Lima.

Junto ao Teatro Operário do Sesi, participou de produções encenadas pelos grupos mais importantes da cidade, recebendo diversas premiações.

Foi um dos fundadores da FETAC (Federação de Teatro Amador do Centro), tendo sido presidente do órgão no período de 1969-70 e diretor em outras administrações.

No período da FETAC, participou ativamente do grupo Porão 7, do qual foi um dos fundadores, tendo atuado nas seguintes encenações:“Procura-se uma rosa”, de Pedro Bloch, sob direção de Névio Dias,“George Dandin ou O marido confundido”, de Molière, direção de Glauco De Divittis,“A lição”, de Ionesco, direção de Dagoberto Rebucci,“Aquele que diz sim aquele que diz não”, de Brecht, direção de Fernando Garcia,“Delírio a dois”, de Ionesco, direção de Fernando Garcia,“Ponto de partida”, de José Eduardo Vendramini, direção de Angelo Sanga,“Pena que ela seja uma p...”, de John Ford, produção independente resultado de um curso de teatro ministrado por Roberto Vignatti, que atuou como diretor.

Como diretor, encenou “A coelhinha confeiteira”, de Stella Leonarda, e “Um lobo na cartola”, de Oscar Von Pfuhl.

Participou na fundação da COTAESP (Confederação de Teatro Amador do Estado de São Paulo), cuja sede era em São Carlos e da qual foi também diretor.

Durante 22 anos Angelo foi diretor do Teatro Municipal “Dr.Alderico Vieira Perdigão”. Foi um dos fundadores e presidente do Conselho Deliberativo do ICACESP – Instituto Cultural de Artes Cênicas do Estado de São Paulo -, cuja sede administrativa é também em São Carlos.

Em 2006, voltou aos palcos encenando o texto de Machado de Assis “A Sereníssima República”, e posteriormente “A filosofia de um par de botas”.

 

A SURDEZ DA ESPOSA.


Um senhor temia que sua mulher estivesse tendo dificuldades de audição e, portanto, decidiu marcar uma consulta com um especialista. Ao ligar, o médico disse que só teria um horário para atendê-la em duas semanas, mas que, enquanto isso, o senhor poderia fazer um teste simples em casa para dar ao médico uma ideia da dimensão do problema.
 - "Faça o seguinte", disse o médico - fique a mais ou menos uns 4 metros de distância da sua esposa, e fale com ela como de costume, para ver se ela ouve você. Se não, fique a 3 metros dela e fale novamente. Vá se aproximando assim, de metro em metro, até que ela ouça".
 Naquela noite, a esposa estava na cozinha preparando o jantar, e o marido estava na sala, a 4 metros de distância.
 - Querida, o que tem para o jantar?, ele pergunta.
 Sem resposta.
 Assim, ele se move para o outro lado da sala, a 3 metros de distância.
- Querida, o que tem para o jantar?
 Novamente, sem resposta.
 Ele então se move para ainda mais perto, a 2 metros de distância.
- Querida, o que tem para o jantar?
 Ainda, sem resposta.
 Ele vai até a porta da cozinha, a apenas 1 metro de distância.
- Querida, o que tem para o jantar?
 Sem resposta.
 Irritado, ele chega bem perto dos ouvidos da esposa e grita:
- O QUE TEM PARA O JANTAR?! 
 Sua mulher se vira, com raiva e aos berros: 

- PELA QUINTA VEZ, EU JÁ DISSE QUE TEM FRANGO!

Fonte: TudoPorEmail.com.br.

 

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

UAI, SÔ! - OUTRA DO MINEIRIM.


Imagem da Internet.
 
Um mineirinho bom de cama, passando por New York, pega uma americana e parte para os finalmentes.
Durante a relação, a americana fica louca e começa a gritar:
- Once more, once more, once more.....(tradução de once more: "mais uma
vez")
E o mineirinho responde desesperado:
- Beozonte, Beozonte, Beozonte...

FALAR COM DEUS.


Quando quero falar com Deus, não fico olhando para o céu, como se Ele estivesse lá em cima distante de mim. Ponho-me em silêncio, acomodo-me num local tranquilo, e medito em introspecção. Então, analiso-me, asseguro-me da minha fé,  e, em pensamento, envio mensagem a Deus, na fé absoluta que Ele está me ouvindo e que, de algum modo, me responderá. Deus está dentro de nós; nossa fé absoluta O mantém  em nosso coração.

INFÂNCIA VIOLENTADA.



            Há alguns anos, quando participei do COMUCRA - Conselho Municipal da Criança e do Adolescente, de Descalvado (SP), por deveres do exercício, estudei teores do Estatuto da Criança e do Adolescente - ECA. Lei que se predispõe a defender crianças e jovens de infortúnios da vida em sociedade. Lembro-me que nas oportunidades de trabalho em reuniões ou em ações, prevalecia as determinações da cartilha-mor do encaminhamento dos menores; nada poderia atingi-los física e moralmente. Diante disso, nós, do Conselho, envidávamos todos os esforços possíveis para o cumprimento da lei.

            Mas, permita-me amigo leitor, amiga leitora, retornar algum tempo mais. Década de setenta, em Santos (SP), eu pertencia ao grupo de comissários de menores do Fórum daquela cidade. Cabia-me, então, realizar sindicâncias junto a familiares de menores que, de uma forma ou de outra, sofriam de alterações comportamentais ou de violência física e moral. Casos de agressões, de estupros, sevícias contra a infância e adolescência. Por outro lado, casos de roubos, violência, drogas etc, práticas comuns de  menores infratores. Para termos ideia, naquela época, havia um menino de apenas doze anos com assassinatos em seu currículo. Triste, mas verdade. Pois bem, executávamos nosso trabalho in loco, visitando familiares, entrevistando vizinhos, professores, enfim, todo aquele que convivesse com os menores envolvidos. Levantávamos a ficha completa de cada caso, elaborávamos relatório detalhado com fotos, relatos e tudo o que fosse útil à análise dos problemas. Esse relatório, finalizado, era encaminhado ao doutor Juiz de Menores que, à vista do processo no qual se incluía nossas ponderações, decidia pelo procedimento mais adequado. Naquele tempo, felizmente, não havia o ECA, o que permitia ao magistrado o enquadramento perfeito das suas decisões.

            Hoje, por conta da impunidade que impera nas decisões judiciais do nosso País, o ECA presta-se mais à demagogia sócio-política do que propriamente à defesa do menor vítima. E o que mais me assusta é a frequência atual de crimes contra a criança. Se não, vejamos:

            1) O menino desapareceu. Durante três dias, a família o procurava, sem resultados positivos. Contudo, o mau cheiro que invadia a sala da casa onde vivia o garoto chamou a atenção. Kelvin, de apenas seis anos, morto há três dias, tinha seu corpo enrolado num lençol, escondido dentro do sofá. Alegando que já tentara matar o filho outras vezes, a própria mãe confessou o crime.

            2) Duas crianças. João Vitor, de treze anos, e Igor, de doze. Ambos assassinados pelo pai e pela madrasta. Ambos assassinos, após matarem os meninos, atearam fogo nos corpos, esquartejaram e jogaram os pedaços no lixo. Um gari, que recolhia o lixo na rua na qual moravam os menores, descobriu os corpos mutilados, em Ribeirão Pires, interior de São Paulo.

            3)  Este caso aconteceu recentemente em São Paulo, capital. Ezra, de apenas sete anos, filho de Lia. Vivia com a mãe e com Lino, o padrasto, e com dois irmãos por parte de mãe. Ele nasceu na Africa, país de origem de sua mãe e do padrasto, e há dois anos veio para o Brasil. Segundo pessoas que o conheciam, diziam-no sempre muito triste. A mãe e o padrasto tinham uma loja de doces no centro de São Paulo. Sem maiores explicações, fecharam a loja alegando que ela seria reformada. Na verdade, estavam fugindo para a Africa depois de assassinarem o pequeno Ezra. O corpo do menino foi encontrado num freezer, na sala da casa deles, por um primo de Lino, que desconfiou da estranha viagem da família sem maiores explicações e conseguiu entrar no apartamento. Mas o triste deste caso é que o Conselho Tutelar foi avisado, recolheu o menino por dias e depois o devolveu à família, ou seja, aos torturadores do garoto. O pequeno já havia manifestado seus medos à sua professora, inclusive mostrando as marcas das agressões em suas costas. Com tudo isso, foi entregue à morte pelas autoridades que o deviam proteger.

            Mas, para que serve o tal ECA? Para proteger menores infratores? Para que servem as leis que dispõe a justiça de crimes contra a criança? A justiça brasileira precisa de urgentes e radicais reformas. Adequá-las aos tempos de hoje, senhores deputados, senhores senadores. Assassinos de crianças, covardes, merecem cadeia plena, perpétua, ou pena máxima. Enquanto isso, na divulgação de seus partidos, os políticos vivem afirmando que estão mudando o Brasil; não os coloco em posições de credibilidade. Não vejo nenhuma mudança. O discurso continua o mesmo e o Brasil, o povo brasileiro, continua buscando uma corda para sair do buraco cavado pelos corruptos, pelos demagogos. Até quando?.
 
Prof. Roberto Villani

 

quinta-feira, 10 de setembro de 2015

O QUE VOCÊ ACHA DO OVO?

Se você tem dúvidas sobre o ovo... Se tem medo de comer ovo... Assiste a este vídeo.

video

MAIS UMA VEZ, PLOC EM LIMOEIRO DO NORTE - CEARÁ.


 


No próximo dia 26, às 19 horas, em Limoeiro do Norte, Ceará, a talentosa Dallva Rodrigues levará à cena  a peça infanto-juvenil PLOC, A BORBOLETA MAIS LINDA QUE JÁ VI. A apresentação faz parte da IV Mostra Cena´s, no auditório da FAFIDAM.  Desde 28 de março, vários espetáculos sob a responsabilidade da Dallva vem sendo apresentados ao público, sempre com grande sucesso. O calendário é o que segue:
28/03  -  O menino que virou história;
25/04  -  Para sempre Chiquititas;
16/05  -  Maria toda mulher;
13/06  - Lampião e Maria Bonita;
26/07  -  Ratimbum Pararatimbum;
29/08  -  Geni e o Zepelim;
26/09  -  Ploc, a borboleta mais linda que eu já vi;
09/10  -  Para sempre Chiquititas;
10/10  - A verdadeira jistória do Lobo Mau malvado;
11/10  -  Os saltimbancos;
28/11  -  Confissões de adolescente;
19/12  -  Ainda existem flores no jardim.
Realmente, o Ceará, pelas mãos da Dallva Rodrigues e do seu maravilhoso grupo, sente-se enriquecido culturalmente. Um exemplo a ser seguido. Percebam que o Cena´s não para o ano inteiro.
Quem estiver por perto deve comparecer e prestigiar.

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

ELE VOLTOU! O JORNAL "A PALAVRA" ESTÁ DE VOLTA!

 
Criado pelo jornalista Luiz Alair Bueno, o jornal A Palavra iniciou sua jornada marcante no jornalismo descalvadense no dia 12 de março de 1991. Sabe-se que, na época, Luiz Alair Bueno sonhava com um canal de comunicação autêntico, verdadeiro, que fosse suporte na defesa incondicional dos interesses do povo de Descalvado (SP). Lutou muito por isso.  Até a sua morte, incansável. Entretanto, o jornal, após a sua morte, passou por mãos não preparadas para os objetivos sonhados pelo seu criador e fracassou. Interrompeu por algum tempo suas manifestações. Na época, a família do Luiz Alair não tinha a experiência necessária para conduzir o jornal. Hoje, dia 8 de setembro de 2015, esposa e filhas de Luiz Alair assumem a máquina noticiosa do periódico. Agora preparadas, com uma equipe compromissada com os ideai do seu criador, A Palavra volta às residências da cidade, levando às pessoas o que de melhor e mais verdadeiro circula pelo município. Seja na política, na cultura, no esporte, no social, nas notícias policiais, enfim, naquilo que a vida descalvadense revela dia-a-dia. Portanto, todos os finais de semana, nas bancas. Vamos prestigiar. Eu e meu filho Beto Villani estaremos nas honradas páginas do A Palavra. Com muita alegria. Em honra ao saudoso e ilustre jornalista Luiz Alair Bueno.

domingo, 6 de setembro de 2015

PREFEITO DE DESCALVADO (SP) ACUSADO POR NEPOTISMO.


Parece que o prefeito de Descalvado (SP), Henrique Fernando do Nascimento, está enroscado na própria teia que teceu na prefeitura. Nomeou sua mulher Rosângela como secretária municipal e foi denunciado pelo crime de despotismo. Esse ato fere a Súmula 13 do Supremo Tribunal Federal que se refere ao nepotismo, ou seja, governantes nomearem parentes para cargos públicos sob sua gerência. A denúncia foi feita pelo vereador Argeu Reschini (PROS - Descalvado) diretamente ao Ministério Público. Pelo que parece, o prefeito deverá exonerar a esposa, cujo salário aproxima-se de R$ 7.000,00,  para livrar-se de um possível processo de cassação de seu mandato. Já que ele fala tanto em falta de dinheiro na prefeitura, a exoneração da esposa deixaria uma razoável verba mensal aos cofres municipais.

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

GENI E O ZEPELIM EM LIMOEIRO DO NORTE, CEARÁ.

Neste sábado, 29, às 20 horas, a incansável e talentosa Dallva Rodrigues leva ao palco mais um de seus belos espetáculos, GENI E O ZEPELIM. Lá na Faculdade De Filosofia Dom Aureliano Matos - Fafidam.- Limoeiro do Norte, Ceará.
Dallva Rodrigues

SINÓPSE
Baseada na canção brasileira de Chico Buarque, de mesmo nome, a peça narra a longa história que define o episódio ocorrido com Gení, uma moça que era hostilizada na cidade. Diante de uma ameaça de ataque de um Zepelim, o comandante se encanta com os dotes de Gení, que acaba sendo provisoriamente tratada de um modo diferenciado pelos seus detratores. Passada a ameaça, ela retorna ao seu dia-a-dia normal, no qual as pessoas a ofendiam e excluíam, revelando o caráter pseudomoralista e hipócrita da sociedade.

PERSONAGENS:
Gení, Marta,  Dulce, Dolores,  Padre, Banqueiro,  Prefeito,  Jorge, Pai de Geni,  Comandante, Demais atores ‘coro’.

Livre adaptação de Dallva Rodrigues.

sábado, 1 de agosto de 2015

TRAIÇÃO E DECEPÇÃO.


 
"É engraçado como depositamos tanta confiança e tanto sentimento nas pessoas. Em pessoas que achávamos conhecer, mas, que no fim, só mostraram ser iguais a todos. E por esperar demais, sonhar demais, criar expectativas demais, sempre acabamos nos decepcionando e nos machucando cada vez mais." - Dalai Lama. 

                2013, haveria eleição extra para prefeito na cidade de Descalvado. Nosso grupo político então decidiu apoiar a campanha de um candidato. E pôs-se à luta, elaborando um programa de ações para a popularização do homem escolhido. Várias reuniões foram realizadas na antecedência do pleito. Eu e minha família entramos de corpo e alma nessa disputa política, inclusive com aplicação de dinheiro. Como acordo com o candidato, se eleito, nosso grupo o auxiliaria na condução do governo. E conquistamos a vitória.

            10 de janeiro de 2014. Fui nomeado pelo então prefeito eleito para o cargo de diretor da divisão de cultura. Retornei à cultura de Descalvado; de novembro de 2003 a maio de 2011, ocupei essa função com muito carinho. E agora, novamente no posto, minha responsabilidade seria restaurar a cultura municipal, trazendo novamente ao povo eventos culturais de qualidade. Essa responsabilidade foi-me passada e apoiada pela secretaria de educação e cultura, na qual a divisão municipal de cultura estava vinculada. Arregacei as mangas e coloquei-me ao trabalho. Precisava encontrar um local para instalar a divisão de cultura; outrora a mesma situava-se no lugar onde hoje se encontra o museu público municipal. Então, decidi ocupar a antiga estação ferroviária, ex FEPASA.

            A estação e a praça na qual ela está considero-as das mais lindas da região. Entretanto, abandonada por administrações anteriores, servia de depósito de sucata, lixo, abrigo para desocupados, tráfico etc. Resolvi, então, livrá-la do mal e a saneei das mazelas do abandono total. Na antiga sala das bagagens, onde estabeleci o gabinete do diretor, havia tanta barafunda que mal se podia chegar ao meio dela. Para se ter idéia, o chão estava coberto por óleo grosso, daqueles que se usa em motores de ônibus. Comprei detergente especial e, com ajuda de um funcionário, o óleo foi removido. Comprei cortinas, ajeitei móveis de escritório e, enfim, aprontei o cômodo. Compras feitas com meu próprio dinheiro.

            Mas muito ainda tinha de ser feito. Ajeitei a antiga sala de embarque como escritório da divisão e a sala de telégrafos como ambiente para aulas. Nesse um ano e meio, ali foram realizadas várias oficinas culturais como fotografia, óleo sobre tela, bordado, "o homem quântico" etc. Ali também igreja evangélica realizou aulas de evangelização para jovens. Na quase totalidade, ações gratuitas oferecidas à população. Procurei arrumar os banheiros da estação, antes em estado deplorável. Alguma coisa pode ser feita, outras, por falta de dinheiro (?),  a prefeitura deixou de nos atender. Ajustei a iluminação externa, trocando lâmpadas queimadas. O local tinha que estar bem arrumado, pois minha programação determinava atrações públicas na praça, que se propunha a trazer à população para o belíssimo ambiente.

            "Letras e Sons" - famoso grupo lítero-musical de São Carlos, "Shows musicais", com artistas da região e de casa, atrações como festa junina, semana do meio ambiente, circo para crianças etc. A plataforma de embarque da estação transformou-se em palco, coisa que eu tanto sonhei, por várias vezes. E assim, resgatei a importância cultural da antiga estação ferroviária de Descalvado. E até escrevi um texto contando a história das estações ferroviárias de Descalvado, folheto que era entregue gratuitamente para visitantes e alunos de escolas locais.

            Com a divisão municipal de cultura devidamente instalada, procurei reunir a biblioteca, escola de música e o museu público. Minha intenção era fazer um trabalho integrado pois esses órgãos municipais estavam diretamente subordinados à divisão de cultura. Confesso que alguma coisa consegui nesse mister, agastando-me em momentos de desapegos, de indiferença à hierarquia,  em alguma ações. Na verdade, tudo ia muito bem até os últimos dias de junho, quando soube que meu nome constava numa lista de funcionários que seriam dispensados por conta de economia na folha de pagamento. Parte do nosso grupo político, o mesmo que ajudou essa pessoa chegar à vitória, foi afastado da administração por motivos escusos. Então, fui exonerado sem que o tal prefeito, sua esposa e seus assessores levassem em conta tudo o que fizemos na campanha e no próprio trabalho. E, pasme amigo leitor, transferiram os funcionários concursados do setor e desativaram a divisão de cultura. Acabaram com a cultura municipal de Descalvado. Incompetência, incultura, ignorância e indiferença à população da cidade, principalmente aos eleitores que o elegeram. Traição de todos os envolvidos nesse bródio político. Dos governantes e daqueles que queriam o meu cargo, que subestimaram a recuperação da minha saúde no ano passado com vistas ocupar meu posto. Estou decepcionado. Que Deus perdoe os incautos, pois deles é o reino da infidelidade.

 "Às vezes construímos sonhos em cima de grandes pessoas... O tempo passa e descobrimos que grandes mesmo eram os sonhos e as pessoas pequenas demais para torná-los reais!" - Bob Marley
 
Roberto Villani